quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Ser.

Me entope a fumaça,
me entope a desgraça de ser;

Me afugenta a desgraça,
me afasta a fumaça de ter.

Quase nada eu quero,
quase nada eu venero
a não ser eu mesmo.

Não ser tudo, eu imploro,
P'ra ser menos, eu peço a você...

Não ser nada além mim.

3 comentários:

  1. Pedir para a pessoa não ir e ficar aqui, dentro, completando...

    ResponderExcluir
  2. Que beleza, várias imagens na minha cabeça...
    Levando esse poema para a minha agenda.
    :)

    ResponderExcluir